Herdar a doença de Fabry

Como é que as pessoas adquirem a doença de Fabry? 

Os “genes” são pequenos pacotes de informação contidos em cada célula do organismo. Os genes consistem num código que diz às células o que têm de fazer, algo como um programa informático para o organismo. O facto de uma pessoa ter a doença de Fabry depende dos genes que a pessoa recebeu dos seus pais.

Nas pessoas com doença de Fabry, o gene responsável por dizer às células para fabricar a enzima alfa-GAL é defeituoso, pelo que não é produzida enzima suficiente, não é produzida de todo ou a que é produzida não funciona devidamente. Conforme explicado na secção “O que é que causa a doença de Fabry?”, isto resulta numa acumulação de uma substância chamada globotriaosilceramida (GL-3) em diferentes partes do corpo, que causa os problemas de saúde que podem ocorrer com a doença de Fabry [Para mais informações, consulte a página de Introdução “O que é que causa a doença de Fabry?”]. Não há nada que uma pessoa com a doença de Fabry pudesse ter feito para evitar ter esta condição; esta é causada por “genes alfa-GAL” anómalos herdados dos seus pais. Isto não é algo sobre o qual os pais tenham qualquer controlo.

Como é que a doença de Fabry é transmitida numa família?

Todos os genes no organismo de uma pessoa vêm em pares. O facto de uma pessoa ter ou não a doença de Fabry depende dos genes que recebeu dos seus pais.

Todos os genes no organismo estão contidos em estruturas muito pequenas chamadas “cromossomas”, que estão presentes em todas as células. Cada célula humana contém 23 pares de cromossomas (resultando num total de 46 cromossomas). Para cada par de cromossomas, recebemos um de cada par de cromossomas da nossa mãe e um do nosso pai. Um destes 23 pares de cromossomas determina se somos homens ou mulheres. Estes são chamados “cromossomas sexuais” e existem em dois tipos chamados X e Y. As mulheres possuem dois cromossomas X em cada uma das suas células (frequentemente escrito XX). Os homens possuem um cromossoma X e um cromossoma Y (frequentemente escrito XY). Para além de determinar o nosso sexo, existem outros genes nos cromossomas X e Y que atuam como código para muitas outras coisas. Por exemplo, existe um gene que ajuda o sangue a coagular e um gene que permite ver as cores. 

O gene que faz a enzima alfa-GAL está no cromossoma X. Por esse motivo, a doença de Fabry é chamada uma doença genética “ligada ao cromossoma X”. Este gene nunca está presente no cromossoma Y. 

Porque o gene para a enzima alfa-GAL está no cromossoma X, a doença de Fabry é expressa de forma diferente nos homens e nas mulheres. Os homens com doença de Fabry terão sempre um gene alfa-GAL anómalo, uma vez que só possuem um cromossoma X. Isto significa que os homens com doença de Fabry em geral possuem muito pouca ou nenhuma alfa-GAL ativa. As mulheres possuem dois cromossomas X e, quando têm doença de Fabry, têm em geral um cromossoma com o gene defeituoso e outro com o gene a funcionar devidamente. Nas células do corpo de uma mulher, um dos cromossomas X é inativado por um processo chamado inativação do cromossoma X (também referido como lionização). É um processo aleatório, que ocorre em cada célula. Por ser um processo aleatório, nalgumas mulheres com um gene defeituoso a maioria das células inativa a cópia funcional, noutras a maioria das células inativa a cópia anómala e noutras ainda há um número aproximadamente igual de células que inativam as cópias defeituosas e as cópias funcionais. Como resultado desta variabilidade, os sintomas, a sua intensidade e a idade a que se iniciam podem variar muito entre as mulheres mas podem ser tão graves como nos homens.  1 Germain DP. Fabry disease. Orphanet J Rare Dis 2010;5:30

Possibilidades de hereditariedade quando um progenitor com doença de Fabry tem filhos  

Os homens com o gene anómalo transmitem-no a todas as suas filhas e a nenhum dos seus filhos.
*O pai afetado pode ser descrito como hemizigótico para o gene defeituoso/mutação e as mulheres afetadas como heterozigóticas para o gene defeituoso.

Quando um pai tem doença de Fabry

Um homem transmite um cromossoma X às suas filhas e o seu cromossoma Y aos seus filhos. Quando um homem possui o gene anómalo para a doença de Fabry, transmitirá o gene alfa-GAL defeituoso no seu cromossoma X a todas as suas filhas e estas terão também o cromossoma X afetado. O cromossoma X afetado não será transmitido aos seus filhos (uma vez que ele apenas lhes transmite o seu cromossoma Y e que eles herdam o X da sua mãe).

As mulheres com o gene defeituoso possuem 50% de probabilidade de o transmitirem em cada gravidez. 
* O homem afetado pode ser descrito como hemizigótico para o gene defeituoso/mutação e a mulher afetada como heterozigóticas para o gene defeituoso. 

Quando uma mãe tem doença de Fabry

A mulher transmite um dos seus cromossomas X aos seus filhos ou filhas. Quando uma mulher tem doença de Fabry, em geral apenas um dos seus dois cromossomas X possui o gene alfa-GAL anómalo. Isto significa que ela tem 50% de probabilidade (em cada nascimento) de transmitir o cromossoma afetado aos seus filhos ou filhas. Quando o cromossoma afetado é transmitido aos filhos dessa mulher, qualquer um deles (filho ou filha) terá a doença de Fabry. 
Na [inserir hiperligação: secção exames familiares] é explicado que o conhecimento do padrão de hereditariedade pode apoiar o diagnóstico da doença noutros membros da família que possam estar afetados pela doença de Fabry.